Livros - Publicado em 12.jun. 22

 

 

O novo livro de Raíssa Selvaticci é perfeito pra quem gosta de um bom mistério, mas também procura maior representatividade no gênero. Em “Garotas (Im)perfeitas”, a patricinha Áustria Fontes precisa se aliar à melhor amiga de seu ex namorado, Maya Jeong, quando ele aparece morto misteriosamente e ninguém além delas parece disposto a investigar. O problema é que Áustria não esperava desenvolver sentimentos tão fortes por Maya – sejam eles amor ou ódio.

 

São tempos difíceis para as patricinhas

 

Raíssa traz um tema inédito que ela mesma diz quase não ter levado para frente (mas para a minha felicidade, e para a sua também, ela continuou a escrever): o que acontece quando duas rivais num concurso de beleza se apaixonam? Em meio a todo o mistério sobre a estranha morte do namorado de Áustria que permeia a escola, ela e Maya ainda estão metidas num problema maior: elas se enfrentam num concurso de beleza da cidade, e cada uma precisa levar a coroa por diferentes motivos. 

Toda essa situação obviamente configura o livro numa das dinâmicas favoritas dos leitores de romance – o enemies to lovers. E devo dizer que a narrativa construída por Selvaticci é uma das melhores histórias da trope já apresentadas até agora: você vai vibrar, se irritar e torcer por Áustria e Maya loucamente. As picuinhas e provocações entre as duas são deliciosamente bem escritas, de forma a fazer o leitor enlouquecer com a tensão entre as protagonistas. 

 

Áustria Fontes, a nova Regina George (ou seria a nova Maddy Perez?)

 

Não há quem não vá sair apaixonada por Maya ou Áustria, ambas com personalidades vibrantes e magnéticas, raciocínios e atitudes brilhantes e absolutamente envolventes. Áustria e Maya parecem, de fato, saídas de uma série adolescente, porém mais enérgicas e com um uma química entre elas que é única e que somente a escrita de Selvaticci pode oferecer.

O melhor aspecto do livro, no entanto, são as referências.

Para os amantes de cultura pop, “Garotas (Im)perfeitas” vai ser o paraíso. O livro rende boas risadas, por ser recheado de memes e menções às inspirações para a obra: aqui você encontra muitas citações de músicas da Taylor Swift, referências a Euphoria e Meninas Malvadas, e uma curadoria exclusiva dos melhores memes que o Twitter ofereceu nos últimos anos. Os nomes dos capítulos já são uma obra de arte por si só, e se eu não te convenci a ler esse livro até aqui, sinta-se coagido a pelo menos querer conferir esses títulos. 

 

“Por que Áustria Fontes deveria ser cancelada, a thread”

“Está tudo bem *figurinha do cachorro sentado no meio de um incêndio*”

“Claro que você pode ser mais que meu amigo, você pode ser meu fã”

 

Enemies to lovers com dose extra de açúcar, por favor

 

Quem conhece o trabalho anterior da Raíssa, “Immaculatus” (disponível no Kindle Unlimited) teve dificuldade para acreditar que essa obra seria mais calma e recheada de momentos fofos entre as protagonistas. Meu trabalho aqui é dar pra vocês a certeza de que nesse livro vocês vão achar muito suspense, provocações e muita treta, mas também uma dose carregada de romance água com açúcar. Áustria e Maya vivem um romance slow burn, mas quando finalmente se encontram na mesma página, a história das duas se torna repleta de ternura e momentos delicados. 

Não se enganem, “Garotas (Im)perfeitas” está longe de ser uma história Sessão da Tarde: um dos pontos positivos desse livro é que ele nunca fica parado. Sempre há reviravoltas e acontecimentos importantes que não permitem que o leitor se sinta entediado em momento algum. Mas quem busca uma história fofa, também vai se sentir contemplado em encontrar diversas cenas doces e tranquilas entre as protagonistas, encerrando a história com o coração quentinho. A delicadeza e a perspicácia de Raíssa Selvaticci em conseguir equilibrar momentos de drama e tensão com a dose perfeita de leveza e doçura foi, definitivamente, o que me conquistou. Raíssa é, sem dúvidas, uma escritora brilhante que soube trazer tudo o que você gostaria de ver em um livro sáfico com maestria. É um prazer saber que temos pessoas como ela garantindo que as jovens de agora tenham a representatividade que tanto almejamos.

Por fim, adianto que indicaria o livro para um público +16, por alguns gatilhos como violência e heterossexualidade compulsória, além de algumas cenas íntimas que podem ser encontradas ao longo da história. Mas garanto que ninguém se arrependerá de ler essa obra, à qual só tenho elogios.

“Garotas (Im)perfeitas” entra em pré-venda no site da editora Qualis no dia dos Namorados, 12/06, e você pode retirar o seu sem os custos de frete na bienal do Livro de São Paulo, garantindo ainda um autógrafo da Raíssa. 



1 thought on “GAROTAS (IM)PERFEITAS – Quando as Meninas Malvadas se tornam detetives criminais”



  1. Eu estou acompanhando o lançamento da obra e já confesso que quero muito ler!
    Vou comprar o ebook para poder me encantar. Tenho Immaculatus e ainda não o li, apesar das criticas positivas em relação a história ainda preciso lhe dar a chance.

    Blogger | Instagram | Pinterest





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.