Notícias - Publicado em 02.maio. 22

“Minha comédia romântica favorita é Crush , duh,” disse a atriz que confessou nunca ter assistido uma rom-com (comédia romântica) antes e que conta como foi filmar o primeiro beijo das protagonistas no filme.

Auli’i Cravalho na Premiere de Crush / Just Jared

Crush segue a artista e adolescente Paige Evans (Rowan Blanchard) enquanto ela se junta à equipe de atletismo de sua escola em um esforço para ganhar o carinho de sua crush de longa data – e atleta estrela da escola – Gabriela Campos (Isabella Ferreira). Mas quando o treinador junta Paige para treinar com sua companheira de equipe, AJ (Auli’i Cravalho) – que por acaso é a irmã gêmea de Gabriela -, Paige acaba pegando sentimentos em vez de passar bastões. Logo, Paige involuntariamente se encontra no meio de um desastroso triângulo amoroso que vai ensiná-la como é realmente estar apaixonada.

Partindo desse ponto da sinopse, ao promover a comédia romântica clichê que foi lançada pela Hulu nos EUA (e logo poderá dar às caras no Brasil pela Star+), Auli’i Cravalho conversou com a revista Teen Vogue e revelou as diferenças entre ela e sua personagem. AJ Campos é uma skatista misteriosa e melancólica, um forte contraste com o comportamento animado e borbulhante de Auli’i. E foi exatamente o que atraiu Auli’i para AJ, que no fim, ambas também têm alguns pontos em comum, como serem abertamente bissexuais. Auli’i se assumiu bissexual recentemente, em 2020 através de uma trend na rede social TikTok.

 

“Sempre quero interpretar personagens que me desafiem e que toquem uma parte de mim que não toquei há algum tempo, ou que seja apenas novo para mim”, diz Auli’i. “Seu humor também é muito direto. Essa é talvez a coisa mais direta sobre ela, que ela apenas joga de cara e é muito seca.”

Sobre não assistir comédias românticas, Auli’i diz que não é por questões de gosto, mas que sente que é realmente uma ofensa. “Acho que nunca assisti a uma comédia romântica,” disse a atriz timidamente quando perguntada qual é sua comédia romântica favorita de todos os tempos. “Eu… Realmente, eu juro por Deus. Minha agente está rindo de mim agora. Ela está cobrindo o rosto com as duas mãos, tão decepcionada, porque ela tentou me fazer assistir – como se chama?”

‘Um Amor Inevitável’, diz agente de Auli’i ao fundo. ‘O casamento do meu melhor amigo’.

“Minha comédia romântica favorita é Crush , duh,” acaba revelando a estrela. Mas o que importa nisso tudo, é como Auli’i se sentiu após a primeira leitura inicial do roteiro de Crush. A atriz e cantora de 21 anos soube imediatamente que queria interpretar AJ, em parte por causa da resiliência e corajosa vulnerabilidade da personagem, mas também ao ver quão normal ela é.

“[O filme] aborda – se você precisar usar essa palavra – questões LGBTQ e falamos um pouco sobre o apagamento bi, [mas] é apenas alegre e não está embrulhado em um lindo arco-íris.”

Romance teen com Rowan Blanchard e Auli'i Cravalho chega em Abril com o título de Crush | Arroba Nerd

Reprodução Hulu

O enredo de Crush não se concentra em uma história de revelação. Crush está no “depois”, além do dia de um jovem se assumir. A variedade de personagens queer do filme, tanto falantes quanto não falantes, criou o que Auli’i chama de uma experiência “vibrante” no set. “Percebi que nossos escritores, Kirsten King e Casey Rackham, também são queer. E então nosso diretor, Sammi Cohen, também é queer. E o resto do elenco, ou muitos de nós, pelo menos, são queer e também estão fora”, diz Auli’i. “Estamos vivendo essa história. Temos nossas experiências (…) é divertido jogar nesse espaço.”

Em outro ponto da entrevista, Cravalho revela que fez preparação para viver a atleta AJ. Desde treinar em pistas esportiva e aprender a andar de skate, a ponto até de construir uma história de background para AJ – bem como uma decisão firme de declarar AJ como do signo Escorpião.

“Nas minhas primeiras discussões com Sammi, eu estava tipo, ‘Eu sinto que ela é um Escorpião. Você sabe? Ela sente muitos sentimentos e ela é um pouco louca quando se apaixona'”, lembra Auli’i, que é sagitariana.

Elenco de Crush na Premiere do filme / Just Jared

Auli’i também termina a entrevista personagens queer favoritos no cinema e na TV, citando Ursula de A Pequena Sereia e os personagens queer de Schitt’s Creek – mas são mais personagens jovens como AJ que Auli’i acredita que continuarão a empurrar o agulha de narrativa queer e representação de adolescentes queer. O fato é que Crush tem um grande potencial em se tornar um cult teen bissexual, e a estrela conta que é feliz por ter mais produções pautando este ponto de vista.

“Espero ver personagens felizes e que não fiquem com traumas residuais e não sejam forçados a ficar em uma caixa. Eu só espero me ver também interpretando mulheres que são as mulheres que eu vejo na minha vida cotidiana, que são inteligentes e falam o que pensam e [acreditam] ‘não’ é uma frase inteira em si.” Sendo o que Auli’i chama de “representação honesta”, um feito que ela se orgulha de seu elenco e equipe por ter conseguido com Crush.

A única outra coisa da qual ela está mais orgulhosa, é a homossexualidade sem remorso de tudo isso. “Eu gosto que [Crush] seja gay! Se você não sabia que as pessoas eram gays, agora você sabe que as pessoas são gays. As pessoas são gays”, diz Auli’i. “E espero que vejamos mais filmes que apenas retratem a vida cotidiana de uma pessoa queer, porque pode ser chato, pode ser interessante, mas é real e isso é lindo.”

Reprodução Hulu

Já para o Decider, Auli’i Cravalho concedeu uma outra entrevista contando mais detalhes sobre o filme, a cena do primeiro beijo e a representatividade LGBTQIA+. Separamos alguns pontos importantes.

Decider: O que significa para você interpretar um personagem bi?

Auli’i: “É tão legal. Também é muito bom que não seja grande coisa, sabe? É simplesmente a sexualidade dela – não é um traço de personalidade nem nada. É divertido. Também é bom ter trabalhado com outros atores que são queer e são abertos e abertos sobre isso. Nossos escritores, Casey Rackham e Kirsten King, são queer e nosso diretor, Sammi Cohen. Era um ótimo espaço. Eles entenderam. E eu não precisei – não quero dizer “brincar de gay” ou algo assim, mas esses personagens são mais do que apenas suas sexualidades. Foi divertido deixá-los viver, deixá-los respirar e deixá-los amar como eles fariam como qualquer estudante do ensino médio faria.”

Decider: Eu aprecio quantos tipos diferentes de personagens queer existem. Aquela escola secundária parecia uma pequena utopia estranha. Isso parece semelhante à sua experiência de crescimento? É assim que a Geração Z é?

Auli’i: “Eu tinha muitos amigos gays. Eu beijei muitos dos meus amigos, vou ser honesta. Eu também estudei no Havaí, então sim, minha escola era muito diversificada e bastante inclusiva, pelo que sou muito grata. Algo que acho que todos aprendemos é que a mídia e o filme que consumimos, em nossas TVs ou em nossos smartphones, realmente afetam a forma como as pessoas são tratadas na vida real. Então, tendo essas histórias que são positivas para o sexo… expandimos um pouco a mente das pessoas e expandimos seus corações. Porque de repente você vê alguém que está vivendo dessa maneira e percebe: ‘Ah, as pessoas são gays. Ok!’ E, novamente, não é um traço de caráter. É apenas algo que existe. Porque realmente é assim. Adolescentes são gays!”

Decider: Eu tenho que perguntar sobre aquela cena do primeiro beijo no banheiro. Você pode me falar sobre como foi filmar – como Sammi Cohen dirigiu você e Rowan, e garantiu que todos se sentissem confortáveis?

Auli’i: “Eu acredito que a cena aconteceu no último dia ou no penúltimo dia de filmagem. O que foi muito útil porque naquela época você conhece sua co-estrela, e Sammi e eu tínhamos uma taquigrafia muito boa naquele momento. Nós trabalhamos juntas por tanto tempo quanto pudemos antes de chegar às cenas talvez mais vulneráveis. Foi estranho porque isso é fazer filmes. Mas também estava muito bem iluminado – e essas também foram as cenas com as quais fizemos o teste. Porque é assim que você faz, você verifica se tem química, então as cenas também nos eram familiares. Então você apenas deixa os personagens assumirem. E é divertido beijar as pessoas, sabe o que quero dizer? A queima lenta – especialmente quando você filma o filme o tempo todo – a queima lenta finalmente está acontecendo. Esse é um dos fatores-chave para uma grande comédia romântica: o beijo. Para finalmente chegar a isso foi como, ‘Ah, que alívio!’”

Decider: Existe alguma chance de que Crush possa ter uma sequência, ou talvez uma série? Você estaria por isso? Para a história de AJ e Paige continuar?

Auli’i: “Sim! Quer dizer, eu definitivamente posso ver mais uma história para Paige. Eu também adoraria ver AJ entrar mais em sua arte. Há espaço para jogar.”

A entrevista completa você confere aqui: DECIDER

A entrevista para a Teen Vogue: clique aqui

Edição: Lesbocine.





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.