Livros - Publicado em 24.abr. 22

 

O romance de Giulianne Domingues – ou Giu, como ela prefere ser chamada – tem tudo para te atrair logo nas primeiras páginas. Mais um queridinho do TikTok, “Luzes do Norte” estourou no aplicativo vizinho e ganhou até maquiagem inspirada em sua capa (confira: @babimartinsss_ no TikTok).

 

FANTASIA SÁFICA NACIONAL

Só com essas três palavrinhas, você que lê essa matéria já deveria estar agora mesmo com o link da Amazon aberto, parcelando o livro em quantas parcelas forem necessárias ou enchendo o saco dos seus pais pra te deixarem comprar “só mais esse livrinho, juro que vai ser só dessa vez” (eu sei porque eu falei exatamente isso pro meu pai, mas vou te explicar exatamente o porquê de ter valido a pena).

“Luzes do Norte” é a primeira fantasia sáfica nacional publicada pela Galera e um dos lançamentos mais esperados para 2022, ou seja, é um lançamento fresquinho para se apaixonar e comentar sobre no BookTok. Em seu livro de estreia, Giu Domingues já chega com tudo e aposta num romance nórdico de tirar o fôlego: na gélida e medieval Nurensalem, a solitária caçadora Dimitria é contratada para proteger a doce e indefesa Aurora – a cobiçada princesa por quem seu irmão mais novo é apaixonado. 

“Olha só! Você monta muito bem!”

“É o que todas dizem”. p. 58.

 

A PRINCESA E A PLEBÉIA + MISTÉRIOS, URSOS E AURORAS BOREAIS

Certamente você já assistiu à Princesa e a Plebeia, primeiro filme musical da franquia Barbie da Mattel. O primeiro encontro de Dimitria e Aurora remete a essa estética – duas garotas opostas em tudo, desde a aparência física até a realidade social em que estão inseridas. Dimitria, até conhecer os van Vintermer (a família de Aurora), é uma mera plebéia que luta para não deixar que seu irmão Igor passe por necessidades; possa estudar e se tornar um mago. Aurora, por sua vez, passa a imagem de sua homônima, a própria princesa da Disney: de uma beleza e ingenuidade angelical, é a donzela da família, que tenta protegê-la a todo custo. 

“Doçura não é somente elogios e submissão. É a gentileza calma do dia após uma nevasca. É desarmar com as palavras, e não com os punhos. É a coragem quieta de quem escolhe fazer o que é certo”. p.168.

 

Logo fica claro que a primeira ideia das protagonistas a que Domingues nos apresenta não é a que ficará: Dimitria não é nem um pouco inofensiva, e Aurora, em todos os aspectos, está longe de precisar de proteção. Após salvar um dos cavalos da família de uma fera, Dimitria é convidada pelo pai de Aurora a ser sua guarda-costas pelo inverno, mas mais cedo do que gostaria, Dimitria descobrirá as facetas mais diversas e cruéis da parte nobre de Nurensalem. 

 

FIM DA RESSACA LITERÁRIA? 

Contando com cerca de 300 páginas, “Luzes da Norte” é um livro delicioso que vai chutar a ressaca literária para fora do seu corpo de vez, além de ter uma capa maravilhosa que brilha no escuro, fazendo jus ao nome e podendo ser lido em um único final de semana. O que há de mais atrativo na narrativa, para os amantes de um suspense leve, é o mistério que Domingues oferece ao leitor atrelado ao romance de Dimitria e Aurora.

O inverno é tão frio e cruel quanto a nobreza nórdica de Romândia, crianças estão desaparecendo, e algo – ou alguém – está assassinando-as. Uma criatura bestial está a solta, e subitamente, toda a província parece achar que Dimitria é a pessoa mais competente para desvendar o enigma e capturar quem quer que seja responsável pelos crimes em sequência. Enquanto lida com esse desafio, Dimitria tem ainda outro problema: encarar seus fortes e confusos sentimentos pela princesa Aurora – sentimentos esses que também possui seu irmão Igor, a única pessoa no mundo a quem ela não está disposta a trair. 

 

SINESTESIA E BOM HUMOR

Eu, particularmente, tenho dificuldade com livros de fantasia que se demoram na ambientação e se prendem muito em detalhes desnecessários, estagnando a narrativa. Por isso, é com felicidade extrema que afirmo que “Luzes do Norte” apresenta seu universo com perfeição, trabalhando a ambientação na medida ideal e sem sobrecarregar o leitor.

O que mais me agrada na escrita da Giu é o ritmo fluido e a sinestesia com a qual ela trabalha as cenas, fazendo referências deliciosamente agradáveis que te inserem no contexto de maneira impecável. É uma narrativa brilhantemente diegética, capaz de te fazer sentir o gosto de hidromel na boca em cada cena de Dimitria e Aurora.

Sinto decepcionar as amantes de slow-burn, mas o ritmo do romance de “Luzes do Norte” não é deliciosamente demorado como algumas preferem. Ainda assim, eu não teria escolhido mudar nada da forma como foi escrito: o ritmo é perfeitamente agradável.

“Meu pai não manda no meu coração”. p.175.

Com plena maestria, Giu Domingues debuta no mundo literário munida de uma escrita fantástica, repleta de um humor gostoso e divertido, mas que também insere críticas sublimes e bem colocadas ao tradicionalismo ao longo da história. 

“Ah, os homens! Sempre munidos da certeza de que sua presença é desejada e necessária”. p.46.

Ao longo de flertes, alfinetadas, momentos doces e calorosos e uma sintonia de tirar o fôlego, Dimitria e Aurora entregam uma apaixonante narrativa +14, com gatilhos para violência, mas que vai impressionar qualquer leitor e te deixar com vontade de ler mais e mais. Para você, digo que não perca mais tempo e nos conte o que achou dessa história. Para Domingues, deixo apenas um recado: por favor, nunca pare de escrever.  

Compre “Luzes do Norte” na Amazon:





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.