Notícias - Publicado em 14.abr. 22

A atriz revelou que chegou a perder oportunidades de trabalho quando sua sexualidade veio à tona.

Bruna Linzmeyer fez sucesso como Madeleine na primeira fase do remake da novela Pantanal, e nas últimas semanas, durante a divulgação da novela em algumas entrevistas, a atriz deu detalhes de sua vida pessoal, principalmente na época que assumiu lésbica e a reação de seus pais a saber sua sexualidade.

Em entrevista ao podcast PodPah a atriz comentou:

Reprodução Globo

“Foi em 2015, eu já estava há cinco anos na TV. Já namorava Kitty [Féo], que foi minha primeira namorada, há uns bons meses. Foi super indelicado, pegaram informações sobre a vida dela que não era uma pessoa pública. Fotos e tal. As pessoas que trabalhavam comigo cogitaram que eu negasse e eu disse: ‘não, isso não é uma possibilidade. Eu não estou cogitando negar. A partir de agora, a gente vai ter que lidar com o que vai acontecer. Se eu negar isso, vou me corroer por dentro.’”, conta a atriz que também chegou a relatar em outra entrevista sofrer lesbofobia de um psicanalista.

Sobre a carreira profissional, Bruna comentou que chegou a perder oportunidades de trabalho e campanhas publicitárias, mas que hoje está mais tranquilo falar sobre atualmente.

“Hoje em dia as pessoas me chamam porque eu sou sapatão também. Querem estar comigo porque eu tenho e tive essa coragem. E hoje em dia é mais tranquilo falar disso do que era naquela época. É quase um filtro: se você não quer trabalhar comigo por eu ser sapatão, talvez seja bom [pra mim].”

Linzmeyer disse que ainda “existe uma pressão velada”, por saber que há muitas atrizes mais velhas que ela, que também perderam oportunidades quando se assumiram: “Eu sinto que eu pude falar na época em que o mundo estava fazendo uma curva. Acho que fui uma das primeiras mulheres da minha geração a falar disso.”

Em conversa com Pedro Bial, com relação a contar para seus pais, Linzmeyer contou que teve ajuda do seu irmão, Helder, que atualmente é casado com um homem e 10 anos mais novo que ela. Segundo ela, ele é mais calmo.

“Quando comecei a namorar uma mulher, a Kiti, ele [Helder] tinha acabado um casamento de 11 anos com uma mulher e começou a namorar o Fabricio, com quem ele é casado até hoje. A gente ainda estava descobrindo, vivendo essa experiência nova. E a gente ia conversando pelo telefone. Ninguém sabia ainda, os pais, nem a família sabiam. Só os amigos que eram muito próximos e o meu irmão. E aí foi chegando um momento que a gente falou ‘a gente vai ter que falar’. Aí eu falei: ‘isso você fala primeiro. Vai você, é o certinho da família, todo mundo te ama, vai ser ótimo, você abre esse caminho e eu chego depois’. Então foi muito bom ter ele por perto, para ajudar a conduzir a coisa de uma forma carinhosa.”

Após sua participação em Pantanal, Bruna segue a todo vapor na carreira e está com muitos projetos futuros para a TV e cinema.



1 thought on ““Hoje me chamam porque sou sapatão”, diz Bruna Linzmeyer ao relembrar o momento em que se assumiu lésbica”



  1. aHHHHHHHHH! *O*
    é muito bonito de ver que hoje as atrizes se sentem mais empoderadas e seguras em “sair do armário”
    Claro que ainda existe preconceito, mas esse é o caminho, é preciso falarmos sobre isso e sabermos respeitar, e que eles nos respeitem também.

    Blogger | Instagram | Pinterest





Deixe um comentário para karolini barbara Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *