Colunas - Publicado em 31.dez. 21

O ano de 2021 foi recheado de produções audiovisuais e literárias, tivemos drama, comédia, terror, animação, e até fanfic virando livro. Por isso, a equipe do Lesbocine separou uma lista de série, livros e filmes que nos entreteram e roubaram nossos coração durante 2021.  Entre lançamentos e clássicos, nossas colaboradoras escolheram as seguintes produções:

Raquel Oliveira, redatora, escolheu “Atypical”, “Tomates Verdes Fritos”, “Manhãs de Setembro” e “Rua do Medo” como seus favoritos desse ano, para ela: 

“Atypical”
Casey ganhou mais destaque e desenvolvimento de personagem. Mais camadas foram inseridas para a personagem e o desenrolar do seu arco é um dos melhores e mais bem construídos na série. E com Izzie, apesar de ser coadjuvante, podemos ver e entender mais por quê seu comportamento passivo-agressivo a prejudica tantas vezes durante a temporada, sua mãe e família não é nada fácil. “Atypical” se tornou uma das minhas séries favoritas, por falar muito sobre amizade, lealdade e companheirismo. E na sua conclusão na quarta temporada, insere também de maneira inspiradora objetivos e sonhos. Todos esses tópicos são altamente valorizados na série.

Disponível na Netflix.

“Tomates Verdes Fritos”
Sempre quando fazem top filmes, esse está entre os primeiros. Após muito tempo, resolvi dar a chance e me surpreendi bastante. É um conto de um amor sáfico subentendido que não precisa explicar muito, suas ações já mostram. Um belo filme que celebra o companheirismo, amizade e o amor que ultrapassa os limites do tempo.

Disponível na Prime.

“Manhãs de Setembro”
Mesmo sendo uma produção independente e sem muitos custos na produção, “Manhãs de Setembro”, protagonizado por Liniker, mostra muito em seus detalhes e sua narrativa linear, mesmo com o pouco que tem. São cinco capítulos de muita luta, inconstância, rejeições e aceitações, e é exatamente por isso que a série conquista, é uma realidade (fora da nossa bolha) sendo retratada.

Disponível na Prime.

“Rua do Medo”
A produção é um terror neon slasher em que a turma é extremamente inteligente, mas eventualmente a galera acaba morrendo – claro, é um terror. E é um entretenimento puro, ainda que seja slasher +18. É uma grandiosa carta de amor de Leigh Janiak para o subgênero. E foi interessante assistir a um ambicioso trabalho de uma diretora mulher que teve todo o espaço e liberdade criativa em uma gigante do streaming – e ainda contar uma história através de um casal sáfico, o qual a protagonista, Deena, determinada a salvar sua amada de uma maldição, Sam, enfrenta mortes, caos e gritaria.

Disponível na Netflix.

Marina Fiorani, redatora e nossa devoradora de livros favorita, acrescentou na nossa lista “Sea And Stars”, “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”, “O amor não é óbvio”, “Borboletas pra lá e pra cá” e “Written in the Stars”, como suas leituras favoritas de 2021, segundo ela:

“Sea And Stars”
A trilogia pouco conhecida na comunidade literária, porém com altíssima qualidade e que    merecia maior reconhecimento. Disponível no Kindle Unlimited, a série de S.D. Simper traz um romance improvável e apaixonante entre uma princesa e uma sereia, com cenas quentes, surpreendentes, cativantes e uma mitologia própria, cujos deuses são representados como figuras acessíveis; além de ter uma abordagem empoderada da figura feminina.

Adquira o livro na Amazon.

 

“Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”
O queridinho da comunidade bookstan, que não poderia deixar de ser mencionado como uma das mais poderosas histórias da atualidade. Com uma narrativa cheia de reviravoltas, a montanha russa de emoções que é o livro da TJR é um apaixonante best seller de 5 estrelas. Apesar de o foco da história ser na trajetória de Evelyn no mundo de Hollywood, não há quem não se emocione com a magnética história de amor entre Evelyn e Celia, que vai deixar qualquer leitor a beira de lágrimas.

Adquira o livro na Amazon.

“O amor não é óbvio” e “Borboletas pra lá e pra cá”
É impossível escolher um favorito entre duas das maiores referências que temos em livros sáficos nacionais: “O amor não é óbvio”, de Elayne Baeta, e “Borboletas pra lá e pra cá”, de Juliana Reis, são os campeões no que diz respeito a romances divertidos, com uma perfeita representação da realidade do jovem LGBTQIA+ brasileiro, e que abordam com uma doçura cativante o conceito de “found family”, ou seja, a família qur encontramos ao longo da vida. Ambos são histórias leves e que garantem uma leitura fluída, suave e que deixam o coração quentinho.

Adquira o livro “O amor não é óbvio” e “Borboletas pra lá e pra cá” na Amazon.

“Written in the Stars”
O livro da autora Alexandria Bellefleur, é um New Adult delicioso e o meu favorito pessoal. Divertido, moderno e sedutor, a história de Bellefleur é tudo o que você espera de uma comédia romântica. Com fake dating, personagens adoráveis e realistas, a autora constrói uma narrativa cômica e ao mesmo tempo emocionante. Eu diria que é um livro com grandioso potencial e que se tornaria facilmente um dos favoritos da comunidade se fosse trazido para o Brasil em português.

Adquira o livro na Amazon.

 

Jordana Veras, Social Media e responsável pelos vários surtos no twitter, escolheu “Sex Lives Of College Girls” como a sua queridinha do ano, para ela:


Sem dúvidas a melhor série lançada em 2021, com a mente brilhante de Mindy Kalling, a série é tão boa que você simplesmente engole um episódio após o outro. Ganhamos o tipo “Regina George”, debochada, loira, rica e LÉSBICA, que fica com várias mulheres mais velhas, o sonho de muitas né? O seriado consegue trazer assuntos extremamente importantes e atuais de uma forma engraçada, todas as 4 protagonistas ao meu ver possuem carisma, com suas histórias bem trabalhadas, nenhuma fica pra trás. Todos os arcos das personagens me deixam animada pra saber o desenrolar, mas o foco principal fica com Leighton Murray, com uma atuação fantástica, a rápida evolução dela durante a primeira temporada é algo lindo demais de se ver. Outro ponto importante é a amizade cada vez mais forte entre as 4, foi muito bem trabalhado, com vários momentos de apoio uma com a outra, certamente estou muito ansiosa pra ver a 2° temporada.

Disponível na HBO Max.

Natália Silveira, Social Media, Designer e Webdesigner, assim como Raquel escolheu “Atypical” como uma das suas favoritas, mas acrescentou a lista “The L Word: Generation Q” e o livro da autora Isabella Pereira, “A Garota do Laço Vermelho”.


“The L Word: Generation Q”
Protagonizada por Jennifer Beals, Katherine Moennig, Leisha Hailey, “The L Word: Generation Q” acompanha a vida de personagens já conhecidas como Bette Porter, Alice Pieszecki e Shane McCutcheon, e também apresenta uma nova geração de mulheres sáficas. A série que explora o universo de mulheres que amam mulheres, cometeu alguns erros na última temporada, mas com certeza, o seu maior acerto foi a relação das personagens Dani (Arienne Mandi) e Gigi (Sepideh Moafi). O casal que teve um dos melhores desenvolvimentos da temporada, arrebatou nossos corações e entrou para a lista de melhores casais da série. “The L Word: Generation Q” ainda não foi oficialmente renovada, estamos na torcida, porque afinal não podemos ficar sem nosso casal favorito.

Disponível na Prime.

“A Garota do Laço Vermelho”
O livro da autora Isabella Pereira, baseado na fanfic The Red Bow, acompanha a história de amor entre Camila e Lauren. As personagens que se apaixonam através da música, encontram no seu amor, forças para viver essa paixão. A publicação da obra é algo para ser celebrado, primeiro por ser mais uma história LGBTQIA+ ganhando visibilidade, e também por se tratar de um livro que originalmente era uma fanfic, isso valoriza o trabalho das autoras, que tem nos últimos anos criado conexões genuínas entre as fãs e suas histórias.

Adquira o livro na Amazon.

 

Lua Barros, criadora de conteúdo e youtuber, apesar de ser uma libriana cheia de dúvidas, escolheu unicamente “Dickinson” como sua série favorita do ano, segundo ela:


“Dickinson” é uma obra de arte, assim como os poemas de Emily. A série que acompanha a poetisa, apresenta uma mente inquietante e criativa, ao mesmo tempo que expõe os limites impostos as mulheres no século  XIX. Transitando entre o drama e comédia, Alena Smith entrega uma história recheada de detalhes sobre a vida de Emily, estabelecendo uma conexão profunda com a audiência. Isso somado a atuação de Hailee Steinfeld e a produção geral da série, torna “Dickinson”não só uma das melhores séries de 2021, mas uma das melhores produções dos últimos anos.

Disponível na Apple Tv.

Alice Chiappetta, apresentadora do Tik Tok e criadora de conteúdo, assim como Lua, escolheu “Dickinson” como uma das suas produções favoritas, mas acrescentou a lista “My First Summer”, “Killing Eve”, “Motherland: Fort Salem” e “Legends Of Tomorrow”.


“My First Summer”
O filme que tem uma maneira muito delicada e sutil de mostrar as experiências de Claudia e Grace, ficou bastante popular nas redes sociais, por conseguir desenvolver uma história entre duas adolescentes que encontram uma na outra o apoio, o amor e a intimidade de que precisam e nos ensinando o poder restaurador da conexão humana.

Disponível na MUBI.

“Killing Eve”
Meio que já virou lei “Killing Eve” sempre está na lista de séries incríveis, e aqui não podia ser diferente. Temporada após temporada, a loirinha psicopata tem ganhado cada vez mais fãs apaixonadas. As vésperas da estreia da quarta e última temporada, resolvi maratonar a série para matar a saudade de Villanelle e também, relembrar as conspirações e intrigas políticas que são cenário dessa história de amor não tão convencional.

Disponível na Globoplay.

“Motherland: Fort Salem”
A trama que se passa num mundo alternativo no qual as bruxas são entidades essenciais para defender os Estados Unidos, inverte os papéis de gênero e poder colocando as mulheres em posições dominantes. A série pode até parecer uma grande propaganda militar, mas ao longo das temporadas percebemos que Elliot consegue maestralmente falar de magia, matriarcado, militarismo, fazer críticas sociais e políticas, e de quebra nos dá representatividade LGBTQIA+.

Disponível na Star+.

“Legends Of Tomorrow”
Já faz um tempo que paramos de entender as maluquices que se passam em  “Legends Of Tomorrow”, agora só aproveitamos os enredos cheios de viagens no tempo, magia e muita boiolice. Apesar de ter demorado para descobrir sua identidade, “Legends Of Tomorrow” finalmente encontrou a sua cara e se tornou uma das melhores séries do gênero de super-heróis. Não é atoa que sua popularidade só aumenta com o passar das temporadas.

Disponível na Netflix.

Essas são algumas das produções audiovisuais e literárias que nos marcaram último ano, e vocês? Qual série, filme e/ou livro entrou para sua lista de queridinhos?



1 thought on “De Dickinson à Rua do Medo: Confira os queridinhos do Lesbocine em 2021”



  1. Good post. I certainly love this site. Continue the good work! 586585350





Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.