Crítica - Publicado em 01.dez. 21
Diretor: Ryan Murphy
Gênero: Musical
Duração: 2h10
Ano: 2020
Sinopse:

Emma, uma adolescente do último ano do ensino médio, decide levar sua namorada ao baile de formatura, porém a escola cancela a festa. Ao chamar a atenção para o problema nas redes sociais, um grupo de estrelas decadentes da Broadway decide ajudá-la.


Assista o trailer:

The Prom é um musical multi colorido, divertido, entrega através das entrelinhas das músicas uma moral e lição bem sutil de empatia e aceitação.

Há dez anos, em 2010, a estudante Constance McMillen travava uma batalha na justiça contra a sua escola: ela queria ter o direito de levar a sua namorada ao baile, vestindo as roupas que quisesse. Porque era proibido, a escola só aceitava meninas levarem meninos. Parece ser história fictícia, mas é real, aconteceu. Após árdua luta na justiça, com uma repercussão nacional, apoio de famosos, aparições em programas de tv e oferecimento de uma bolsa de estudos, a justiça do estado do Mississippi concedeu a McMillen a vitória. The Prom, o musical, estreou em Atlanta 6 anos depois; e mais tarde, em 2018, chegou até a Broadway. A história real virou ficção, com os moldes musicais e resquícios fantasiosos, fez um sucesso e 10 anos depois do caso da estudante, agora é filme. The Prom chegou às telas das nossas casas distribuída pela Netflix, com produção de Ryan Murphy e um elenco de peso, como Meryl Streep, Nicole Kidman, James Corden, Kerry Washington, Keegan-Michael Key.

The Prom é um musical multi colorido, divertido, entrega através das entrelinhas das músicas uma moral e lição bem sutil de empatia e aceitação. Em 2020, quando tudo o que mais queremos e precisávamos era de algo que nos levasse para algum escapismo, o timing não poderia ser melhor. Eis entre nós, um musical lésbico. E não poderia ser diferente, as músicas ao longo das 2h de filme são alegres, divertidas e nos entretém. Se formos analisar a fundo, cada música tem uma letra com uma mensagem bem sutil sobre empatia, altruísmo, aceitação, amor e inclusão. 

A história gira em torno de Emma que mesmo com problemas de rejeição, não só pela escola mas também como a comunidade da cidade e colegas com quem estuda, não baixa a guarda. Emma está sempre sorridente e sempre tenta pensar positivo, mesmo quando tudo parecer estar dando errado. .

O filme destaca bastante os grandes atores que o compõem, Meryl e Nicole como sempre entregam suas personagens. Ambas estão exageradas como os personagens pedem e estão bem à vontade fazendo coreografias e danças. James Corden não convence, a carga dramática do personagem exige tanto dele que acaba ficando a desejar. O elenco de apoio é preciso.

The Prom é um bom musical, com um tema importante e infelizmente atual. No fim, tudo dá certo. E como desejamos que fosse tão fantasioso quanto, né. Passar por situações dolorosas de forma mais leve e com menos rancor. Em tempos de pandemia e para quem gosta de musical, The Prom foi um bom escape.

O elenco conta com as novatas Jo Ellen Pellman dando vida a nossa protagonista Emma e Ariana DeBose vivendo Alyssa. E destaque para DeBose que é abertamente Queer na vida real, e atuou em outro musical famoso, Hamilton.

Por: Raquel Oliveira

 



1 thought on “A Festa de Formatura”







Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.